(62) 99402-8419

Correio Popular

Notícias, vídeos e podcasts

Presos suspeitos de roubar R$ 400 mil em defensivos agrícola

59521642-ef14-45fd-ab62-d9dc5e80f195
59521642-ef14-45fd-ab62-d9dc5e80f195

A Polícia Civil de Goiás, através da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR), deflagrou a Operação Sanctus Ager (Campo Sagrado), nesta quinta-feira (13), e prendeu cinco integrantes de uma associação criminosa. Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Goiás, Minas Gerais, Rondônia e Roraima. O grupo assaltou uma fazenda, em Orizona.

A polícia descreve que o crime, que deu origem a investigação, foi no dia 17 de agosto do ano passado, das 19 às 22 horas. Na ocasião, mediante grave ameaça com o emprego de arma de fogo, subtraíram defensivos agrícolas existentes no galpão da propriedade rural, causando um prejuízo aproximado de R$ 400 mil à vítima.

DEFENSIVOS AGRÍCOLA

Os assaltantes renderam o caseiro, a esposa e filha de oito anos, os amarraram nas mãos e nos pés e as vítimas só foram libertadas na manhã seguinte, pelos funcionários que ouviram seus gritos. Os três ficaram imobilizados por mais de 12 horas.

“A partir daí fizemos essa investigação e conseguimos chegar ao motorista do caminhão que levou os agrotóxicos para outra fazenda. Ele foi preso e demos continuidade a investigação chegando até os demais integrantes dessa associação criminosa”, afirmou o delegado titular da DERCR, Arthur Fleury.

Durante as buscas e prisões em quatro estados, foram apreendidos veículos, computadores, embalagens utilizadas para a falsificação dos defensivos, além dos produtos para a falsificação e em uma das residências, foram apreendidos R$ 12 mil em espécie.

“Além do assalto de agrotóxicos era feito a falsificação e revenda desse produto. Encontramos também empresas de fachada, em Rondônia e Roraima para possível lavagem de dinheiro. A partir de agora, com as prisões, vamos continuar a operação para verificar o fluxo de caixa dessas empresas de lavagem de dinheiro e demais integrantes da associação criminosa”, finalizou o delegado.

Fotos: Divulgação/ PCGO

Comunicação Setorial – Secretaria de Segurança Pública – Governo de Goiás

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp