(62) 99402-8419

Correio Popular

Notícias, vídeos e podcasts

Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012

O salário médio das mulheres em Goiás alcançou o maior índice de uma série histórica, atingindo a marca de R$ 2.486,81. Os dados do Instituto Mauro Borges (IMB) são referentes ao último trimestre de 2023.  É o melhor rendimento registrado desde 2012, quando o levantamento começou a ser realizado. Comparado ao mesmo período de 2022, houve um crescimento de 4,66% do rendimento real médio.  Membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maior salário médio (R$ 10,2 mil), seguido de diretoras e gerentes (R$ 6,1 mil), profissionais da ciência e intelectuais (R$ 5,2 mil) e trabalhadoras de nível médio (R$ 2,6 mil).  Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012 Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012: membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maiores salários (Foto:Rômullo Carvalho) O levantamento do IMB é feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).  Ainda segundo o IMB, atualmente há mais de 1,6 milhão de goianas com emprego, o que corresponde a 42,1% da população ocupada em Goiás. É a maior quantidade de mulheres trabalhando na série histórica. O governador Ronaldo Caiado relacionou tal conquista às políticas públicas que o Estado tem implantado com foco nas  “É importante que a mulher tenha sua atividade, sua renda. Isso dá a ela uma autonomia muito grande, segurança e independência”, afirmou.  O levantamento também traz dados sobre o empreendedorismo, setor que está em alta entre o público feminino goiano. Mais de 157,7 mil mulheres possuem CNPJ registrado. Desse total, pelo menos 107 mil trabalham por conta própria.  E mais: estima-se que um número superior a 50 mil mulheres sejam empregadoras. Ou seja, negócio que gera renda para si e para outras pessoas a partir da criação de novos postos de trabalho.  SAIBA MAIS Mulheres são maioria dos beneficiados por ações do governo no campo  Escolas do Futuro de Goiás formam mais de 12 mil mulheres  Cresce número de abertura de empresas comandadas por mulheres  Estado abre editais de incentivo a projetos de mulheres na ciência  por Hosana Alves
O salário médio das mulheres em Goiás alcançou o maior índice de uma série histórica, atingindo a marca de R$ 2.486,81. Os dados do Instituto Mauro Borges (IMB) são referentes ao último trimestre de 2023. É o melhor rendimento registrado desde 2012, quando o levantamento começou a ser realizado. Comparado ao mesmo período de 2022, houve um crescimento de 4,66% do rendimento real médio. Membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maior salário médio (R$ 10,2 mil), seguido de diretoras e gerentes (R$ 6,1 mil), profissionais da ciência e intelectuais (R$ 5,2 mil) e trabalhadoras de nível médio (R$ 2,6 mil). Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012 Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012: membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maiores salários (Foto:Rômullo Carvalho) O levantamento do IMB é feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Ainda segundo o IMB, atualmente há mais de 1,6 milhão de goianas com emprego, o que corresponde a 42,1% da população ocupada em Goiás. É a maior quantidade de mulheres trabalhando na série histórica. O governador Ronaldo Caiado relacionou tal conquista às políticas públicas que o Estado tem implantado com foco nas “É importante que a mulher tenha sua atividade, sua renda. Isso dá a ela uma autonomia muito grande, segurança e independência”, afirmou. O levantamento também traz dados sobre o empreendedorismo, setor que está em alta entre o público feminino goiano. Mais de 157,7 mil mulheres possuem CNPJ registrado. Desse total, pelo menos 107 mil trabalham por conta própria. E mais: estima-se que um número superior a 50 mil mulheres sejam empregadoras. Ou seja, negócio que gera renda para si e para outras pessoas a partir da criação de novos postos de trabalho. SAIBA MAIS Mulheres são maioria dos beneficiados por ações do governo no campo Escolas do Futuro de Goiás formam mais de 12 mil mulheres Cresce número de abertura de empresas comandadas por mulheres Estado abre editais de incentivo a projetos de mulheres na ciência por Hosana Alves

O salário médio das mulheres em Goiás alcançou o maior índice de uma série histórica, atingindo a marca de R$ 2.486,81. Os dados do Instituto Mauro Borges (IMB) são referentes ao último trimestre de 2023.

É o melhor rendimento registrado desde 2012, quando o levantamento começou a ser realizado. Comparado ao mesmo período de 2022, houve um crescimento de 4,66% do rendimento real médio.

Membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maior salário médio (R$ 10,2 mil), seguido de diretoras e gerentes (R$ 6,1 mil), profissionais da ciência e intelectuais (R$ 5,2 mil) e trabalhadoras de nível médio (R$ 2,6 mil).

Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012
Média salarial das mulheres em Goiás alcança maior índice desde 2012: membros das forças armadas, policiais e bombeiros militares compõem o grupo com maiores salários (Foto:Rômullo Carvalho)

O levantamento do IMB é feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Ainda segundo o IMB, atualmente há mais de 1,6 milhão de goianas com emprego, o que corresponde a 42,1% da população ocupada em Goiás. É a maior quantidade de mulheres trabalhando na série histórica. O governador Ronaldo Caiado relacionou tal conquista às políticas públicas que o Estado tem implantado com foco nas

“É importante que a mulher tenha sua atividade, sua renda. Isso dá a ela uma autonomia muito grande, segurança e independência”, afirmou.

O levantamento também traz dados sobre o empreendedorismo, setor que está em alta entre o público feminino goiano. Mais de 157,7 mil mulheres possuem CNPJ registrado. Desse total, pelo menos 107 mil trabalham por conta própria.

E mais: estima-se que um número superior a 50 mil mulheres sejam empregadoras. Ou seja, negócio que gera renda para si e para outras pessoas a partir da criação de novos postos de trabalho.

SAIBA MAIS

Mulheres são maioria dos beneficiados por ações do governo no campo

Escolas do Futuro de Goiás formam mais de 12 mil mulheres

Cresce número de abertura de empresas comandadas por mulheres

Estado abre editais de incentivo a projetos de mulheres na ciência

por Hosana Alves

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp