(62) 99402-8419

Correio Popular

Notícias, vídeos e podcasts

Calor extremo: especialistas alertam para cuidados com a saúde

Hospitais estaduais registram aumento nas queixas relacionadas ao calor excessivo (Fotos: SES)
Hospitais estaduais registram aumento nas queixas relacionadas ao calor excessivo (Fotos: SES)

Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES) alerta a população para as consequências do calor excessivo e da baixa umidade relativa do ar na saúde humana. Somente no mês de setembro, 23 pessoas procuraram atendimento com queixas de exaustão, desidratação, insolação e desmaios relacionados às altas temperaturas. Com os termômetros marcando próximo dos 40 graus, especialistas recomendam cuidados redobrados com a ingestão de líquidos e a exposição ao sol, entre outros.

A superintendente de Políticas e Atenção Integral à Saúde, Paula dos Santos Pereira, destaca: “Uma das primeiras medidas quando uma pessoa está apresentando sinais de estresse por calor é levá-la para um local arejado e fresco, hidratá-la e deixá-la com roupas leves. Caso a pessoa tenha sinais de insolação ou não apresente melhora, isso é uma emergência e é necessário buscar atendimento médico’’.

CALOR EXTREMO

Enquanto no mês de agosto não houve registro de atendimento relacionado ao calor, no mês passado o Hospital Estadual de Jaraguá (Heja) recebeu 12 casos pacientes com problemas de saúde, seguido pelo Hospital Estadual de Jataí Dr. Serafim de Carvalho (HEJ), com seis atendimentos, e pelo Hospital Estadual de Luziânia (HEL), com três casos. Os sintomas mais comuns são pele quente e seca, alterações de consciência (confusão mental e convulsões), pressão arterial baixa, hiperventilação (respiração rápida), inchaço, náusea e desmaios.

O médico Infectologista da SES, João Alves de Araújo Filho, enfatiza que pode haver impacto ainda nas doenças respiratórias. “O calor excessivo pode ter sérias consequências para nossa saúde, desde a desidratação leve até a morte. Normalmente, o calor vem acompanhado por diminuição da umidade do ar. Isso pode piorar doenças respiratórias, como a asma e a doença pulmonar obstrutiva crônica, além de favorecer também quadros de infecção respiratória’’, destaca.

CUIDADOS

1) Hidratação é fundamental
Aumente a ingestão de água ou sucos de frutas naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem sentir sede. Evite bebidas alcoólicas e com alto teor de açúcar. Dê preferência por refeições leves, com menos condimentos e mais frequentes. Esteja atento às necessidades de hidratação de recém-nascidos, crianças, idosos e pessoas com comorbidades, mesmo que não manifestem sede.

2) Cuidados coletivos e em casa
Abra as janelas durante a noite para ventilação. Utilize roupas de cama leves e vista-se com roupas frescas e leves ao dormir, especialmente bebês e pessoas acamadas. Além disso, é importante manter ambientes úmidos com umidificadores de ar, toalhas molhadas ou baldes de água.

3) Medicamentos
Mantenha medicamentos abaixo de 25º C na geladeira (verifique as instruções de armazenamento na embalagem). Procure orientação médica se você tiver uma doença crônica, condição médica ou estiver tomando vários medicamentos. Durante os períodos mais quentes, tome banhos com água morna e evite mudanças bruscas de temperatura.

4) Proteja-se do sol e do calor
Evite a exposição direta ao sol, especialmente das 10 às 16 horas. Use protetor solar se estiver exposto ao sol, para proteger a pele contra raios ultravioletas, e o use de chapéus e óculos escuros. Lembre-se: Nunca deixe crianças ou animais de estimação em veículos estacionados.

SAIBA MAIS

Calor intenso acende alerta para bom uso da água tratada

Editado por Hosana Alves via Secretaria de Estado da Saúde- SES

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp